3 DICAS EM GRAMADO/CANELA

Em 18.10.2017   Arquivado em Viagem

Meninas, fui convidada pelo Hotel Continental pra passar uns dias e usufruir das maravilhas que o hotel oferece, além das paisagens lindas da serra gaúcha. Em breve vou liberar o post contando um pouquinho sobre esse hotel incrível, mas hoje, resolvi compartilhar com vocês 3 dicas de Gramado.

Eu sou apaixonada por essa cidade, arrisco a dizer que é um dos meus lugares favoritos. Charmosa e acolhedora, possuí uma estrutura europeia. Sabe aquelas cidades fofas!? Então, parece que estamos passeando em um shopping à céu aberto!

Minha primeira dica em Gramado/Canela – pois Canela é uma cidade vizinha, quase colada em Gramado, viraram praticamente uma só – já começa com o Hotel Continental, que fica entre o centro de Canela e Gramado e é ótimo para um descanso em família. Arborizado e lindo, o hotel é uma excelente opção de hospedagem para toda a família.

Minha segunda dica em Gramado é parada obrigatória. Os pães do colono são conhecidíssimos entre os amantes da serra. Localizado no centro da cidade, próximo à rodoviária, na praça das etnias, o estande é rustico e maravilhoso. Sabem aquele legítimo gostinho da colônia, pois então… Vocês encontram cucas, pães feito em casa, recheados, biscoitos doces, uma infinidade de delícias que é impossível ir à serra e não passar por lá.

A terceira dica é meu lugar favorito em Gramado: O Lago Negro. Com uma paisagem encantadora, o Lago Negro é ótimo pra fotografar, fazer passeios à tarde ou até mesmo preparar um piquenique ao lado de pessoas queridas. Sabem aquele local onde o tempo passa e nem percebemos, queremos ficar ali contemplando as belezas da natureza!? Pois é exatamente assim! Um lugar mágico.

Vocês já foram à Gramado/Canela!?

Contem-me quais os lugares favoritos de vocês!

LANÇAMENTO OFICIAL DO 45º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO

Em 11.07.2017   Arquivado em Eventos

Oiii meninas, tudo bom!?

Hoje aconteceu o lançamento oficial do 45º Festival de Cinema de Gramado e lógico que eu não poderia deixar de fazer um post contando um pouquinho do que rolou pra vocês.

Quem me acompanha por aqui já deve ter visto alguns posts falando sobre o Festival de Cinema de Gramado. Inclusive, tem um vlog no canal da edição do ano passado. O Festival de Cinema é muito famoso no mundo inteiro e reúne filmes de muitas nacionalidades que concorrem a prêmios em diversas categorias. Um dos Festivais mais conceituados, o Festival de Cinema de Gramado foi válvula propulsora pra cidade que, pra uma cidade do interior, passou a receber um público considerado e a ser reconhecida devido ao evento.

Tenho uma longa história com o Festival. Afinal, minha mãe como jornalista sempre fez a cobertura do evento. Eu, como uma boa filha – hahahhaha – sempre estive presente nos bastidores, na área de imprensa e convivendo com os artistas pelos corredores. Confesso que sempre gostei muito. Na época queria ser atriz então era o máximo esse ambiente. Olhem que ironia do destino, hoje quem está fazendo a cobertura sou eu hehehhe Tantos anos frequentando que já estou até com prática :p

Uma coisa é certa, posso falar com propriedade sobre o evento, que, com certeza, faz jus ao completar a agenda de Gramado.

Mas, voltando ao que rolou hoje.

O evento ocorreu na Cinemateca Capitólio, reuniu pessoas do meio e imprensa pra lançar oficialmente essa edição do Festival de Cinema que está marcado para o período de 17 a 26 de agosto em Gramado.

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017
– Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados –
Edson Néspolo – Presidente da Gramadotur
– Foto: Edison Vara/Pressphoto

Após um coquetel servido pra recepcionar os convidados, a coletiva de imprensa aconteceu com a presença do João Alfredo de Castilhos Bertolucci – prefeito de Gramado, Marcos Santuario – Curador, Rubens Ewald Filho – Curador e Edson Néspolo – presidente da Gramadotur, comentando e compondo a frente do evento.

Os filmes em competição e homenageados foram  divulgados:

Homenagens

TROFÉU OSCARITO
Com 33 anos de carreira e mais de 40 filmes no currículo, a paraense Dira Paes é a homenageada com o troféu Oscarito, destinado a grandes atores da cinematografia brasileira. Em Gramado, Dira levou o Kikito em 2003, como melhor atriz coadjuvante, pelo longa “Noite de São João”, e em 2011, como melhor atriz, pelo curta “Ribeirinhos do Asfalto”. Entre os vários prêmios que recebeu nacionalmente, ela não esconde seu carinho por Gramado: “Todo ator tem o maior orgulho de ganhar o Kikito. Nas duas vezes que ganhei, senti meu trabalho reconhecido pelo Brasil inteiro, porque esse é um prêmio que ecoa por todo país. Estar em Gramado é sempre uma emoção muito grande”.

TROFÉU EDUARDO ABELIN
Prestando homenagem a um de seus grandes amigos e incentivadores, o Festival celebra a carreira do cineasta gaúcho Otto Guerra com o troféu Eduardo Abelin, distinção entregue a diretores, cineastas e entidades do cinema nacional. Há mais de quatro décadas fazendo carreira no cinema de animação, Otto esteve pela primeira vez no Festival em 1984 com “O Natal do Burrinho”, que lhe rendeu o prêmio de melhor filme na Mostra Gaúcha de Curtas. Desde então, teve seus trabalhos premiados em outras seis edições do evento. “Esse tipo de legitimação, quando pessoas da área reconhecem o teu trabalho, dá um significado, um propósito”, conta o homenageado.

KIKITO DE CRISTAL
Dedicado a expoentes do cinema latino-americano, o troféu Kikito de Cristal será entregue à atriz argentina Soledad Villamil. Seu maior hit veio em 2009, quando atuou em “O Segredo dos Seus Olhos”, célebre longa argentino vencedor do Oscar de filme estrangeiro, mas sua relação com o cinema começou ainda no início da década de 1990. Antes mesmo de “O Segredo dos Seus Olhos”, Soledad já havia trabalhado com o diretor Juan José Campanella em outro reconhecido filme argentino: “O Mesmo Amor, a Mesma Chuva”, de 1999, exibido no 28º Festival de Cinema de Gramado. Como atriz, a homenageada também acumula trabalhos no teatro e na televisão argentina.

TROFEU CIDADE DE GRAMADO
A estreia no cinema aconteceu em 1960, com “Bahia de Todos os Santos”, e, desde lá, o ator Antônio Pitanga já participou de mais de 50 produções em uma prolífera e dedicada carreira ao cinema nacional. A convivência com grandes diretores do Cinema Novo também despertou a vontade de dirigir filmes, concretizada em 1978, com “Na Boca do Mundo”. Presença constante no Festival de Cinema de Gramado, seja como concorrente, jurado, convidado ou simplesmente espectador do evento serrano, o baiano terá sua carreira celebrada com o troféu Cidade de Gramado, que também marca a sua longa relação com a cidade e o evento serrano.

 

Filmes em Competição

 

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS

– “A Fera na Selva” (RJ), de Paulo Betti, Eliane Giardini e Lauro Escorel

– “As Duas Irenes” (SP), de Fábio Meira

 “Bio” (RS), de Carlos Gerbase

– “Como Nossos Pais” (SP), de Laís Bodanzky

– “O Matador” (PE), de Marcelo Galvão

– “Não Devore Meu Coração!” (RJ), de Felipe Bragança

– “Pela Janela” (Brasil/Argentina), de Caroline Leone

 

LONGAS-METRAGENS ESTRANGEIROS

– “Los Niños” (Chile/Colômbia/Holanda/França), de Maite Alberdi

– “Pinamar” (Argentina), de Federico Godfrid

– “El Sereno” (Uruguai), de Oscar Estévez & Joaquín Mauad

– “Sinfonía para Ana” (Argentina), de Virna Molina e Ernesto Ardito

– “El Sonido de las Cosas” (Costa Rica), de Ariel Escalante

– “La Ultima Tarde” (Peru), de Joel Calero

– “X500” (Colômbia/Canadá/México), de Juan Andrés Arango

 

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS

– “#feique” (RJ), de Alexandre Mandarino

– “A Gis” (SP), de Thiago Carvalhaes

– “Cabelo Bom” (RJ), de Swahili Vidal

– “Caminho dos Gigantes” (SP), de Alois Di Leo

– “Mãe dos Monstros” (RS), de Julia Zanin de Paula

– “Médico de Monstro” (SP), de Gustavo Teixeira

– “O Espírito do Bosque” (SP), de Carla Saavedra Brychcy

– “O Quebra-cabeça de Sara” (RJ), de Allan Ribeiro

– “O Violeiro Fantasma” (GO), de Wesley Rodrigues

– “Objeto/Sujeito” (SP), de Bruno Autran

– “Postergados” (SP), de Carolina Markowicz

– “Sal” (SP), de Diego Freitas

– “Tailor” (RJ), de Calí dos Anjos

– “Telentrega” (RS), de Roberto Burd

 

CURTAS-METRAGENS GAÚCHOS (Prêmio Assembleia Legislativa)

“10 Segundos” (Canoas), de Thiago Massimino

“1947” (Porto Alegre), de Giordano Gio

“Através de Ti” (Santa Cruz do Sul), de Diego Tafarel

“Bicha Camelô” (Pelotas), de Wagner Previtali

“Cores de Bissau” (Porto Alegre), de Maurício Canterle

“Gestos” (Porto Alegre), de Alberto Goldim e Júlia Cazarré

“Kátharsis” (Caxias do Sul), de Mirela Kruel

“Luna 13” (Porto Alegre), de Filipe Barros

“Mãe dos Monstros” (Porto Alegre), de Julia Zanin de Paula

“Secundas” (Porto Alegre), de Cacá Nazario

“Sena, Os Fios em Prosa” (Porto Alegre), de Marcelo da Rosa Costa e Cacá Sena

“Sob Águas Claras e Inocentes” (Porto Alegre)”, de Emiliano Cunha

“Solito” (Porto Alegre), de Eduardo Reis

“Telentrega” (Porto Alegre), de Roberto Burd

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017
– Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados –
Otto Guerra – Homenageado com o Troféu Eduardo Abelin
– Foto: Edison Vara/Pressphoto

Para o curador Rubens Ewald Filho, a múltipla e inédita seleção representa uma excelente resposta a um desafio que a curadoria tenta, a cada ano, mostrar ser possível superar: “Gramado é uma lenda. E, tornando-se uma lenda, algumas coisas ficam mais fáceis, outras bem mais difíceis, como manter o status de lenda. Para algumas pessoas, às vezes pouco interessa se o cinema brasileiro vai bem como um todo. Elas querem saber é se ele vai bem em Gramado. Dessa forma, nossa missão é sempre renovar o Festival na medida em que ele se torne uma lenda também para novas gerações. Por tudo isso, o Festival está sempre em vias de transformação, crescendo e se modificando, mas sempre sem perder as características que o tornaram tão querido”.

Lembro-me de Rubens desde minha infância fazendo parte desse universo da arte. É uma honra poder contemplar suas observações tão de perto.

Pra finalizar, a revelação do Filme de abertura: “João, o Maestro”
Abrindo a programação de longas do 45º Festival de Cinema de Gramado, “João, o Maestro”, do diretor Mauro Lima (“Tim Maia”, “Meu Nome Não é Johnny”), será exibido hors-concours no dia 18 de agosto. Estrelado por Alexandre Nero, o filme é baseado na vida do pianista brasileiro João Carlos Martins, um dos poucos músicos a gravar a obra completa de Bach. Os atores Rodrigo Pandolfo, Alinne Moraes e Caco Ciocler também fazem parte do elenco.

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017 – Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados – Foto: Cleiton Thiele/Pressphoto

Vale mencionar que o festival está comemorando 45 anos de muita história. Em clima de festa, muita coisa boa vai acontecer pela serra. O lançamento estava incrível, e deixou todos ansiosos e empolgados pra ver tudo isso criando forma. Já tenho meus palpites para os vencedores, mas isso é tema para os próximos posts.

Que o Festival chegue logo!!!

Beijocas e até o próximo post <3

44º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO

Em 09.09.2016   Arquivado em Notícias

Oi meninas, tudo bom!
Hoje vim compartilhar com vocês um pouquinho do que rolou no Festival de Cinema em Gramado.

img_2540

Fiquei muito feliz ao receber o convite pra participar desse evento tão lindo que acontece na serra gaúcha e que muito frequentei durante minha infância. Pra quem não sabe, minha Mamy é jornalista e quando era pequena ia a todos os festivais com ela. Sempre amei aquele glamour, tapete vermelho, luzes e brilhos, mas confesso: nunca imaginei estar lá como imprensa convidada. Demais, né!? A Ju de 12 anos iria se orgulhar heheheheh

img_2372

O evento é simplesmente a cara de Gramado, minha cidade favorita, com certeza. Amo aquele lugar!!!

Apesar da chuva e do frio característico a semana foi marcada por apresentações de grandes filmes, celebridades e muita gente bonita.

Lógico que não poderia deixar de relatar alguns looks que desfilaram por lá 

Separei 4 que me chamaram muito a atenção:

f0c1c666-2dae-429c-a4ac-8c3354e166d0

O pretinho nada básico está sempre presente, não é mesmo!? A Carol Dieckmann e a estrela homenageada com o troféu Oscarito desse 44º festival, Sônia Braga, optaram por essa peça. Rendas e transparências, cada uma ao seu estilo, arrasaram. Lua Blanco acabou tendo que optar por um sobretudo para aguentar as baixas temperaturas, mas ficou lindíssima e cheia de classe. Sophie Charlotte em um conjunto bordô estava maravilhosa.

Os eventos principais ocorreram no Palácio dos Festivais, que é ponto turístico da cidade durante todo o ano e fica na frente da rua coberta, também muito conhecida.

A festa de encerramento premiou os melhores com o famoso Kikito, símbolo do festival.

Amei muito a experiência de prestigiar o evento com a responsabilidade de imprensa, participar das coletivas e ver um pouquinho do que rola por trás até o filme ficar pronto para sua exibição.

Foram muito filmes maravilhosos, atores e atrizes espetaculares, mas poucos podem ganhar o prêmio, embora todos o mereçam. Vou deixar aqui a lista dos vencedores pra vocês acompanharem.

44º Festival de Cinema de Gramado - 03/09/2016 - Cerimônia de Premiação - Vencedores - - Foto: Edison Vara/Pressphoto

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS

Melhor Filme: “Barata Ribeiro, 716”, de Domingos Oliveira

Melhor Direção: Domingos Oliveira (“Barata Ribeiro, 716”)

Melhor Atriz: Andréia Horta (“Elis”)

Melhor Ator: Paulo Tiefenthaler (“O Roubo da Taça”)

Melhor Atriz Coadjuvante: Glauce Guima (“Barata Ribeiro, 716”)

Melhor Ator Coadjuvante: Bruno Kott (“El Mate”)

Melhor Roteiro: Lucas Silvestre e Caíto Ortiz (“O Roubo da Taça”)

Melhor Fotografia: Ralph Strelow (“O Roubo da Taça”)

Melhor Montagem: Tiago Feliciano (“Elis”)

Melhor Trilha Musical: Domingos Oliveira (“Barata Ribeiro, 716”)

Melhor Direção de Arte: Fábio Goldfarb (“O Roubo da Taça”)

Melhor Desenho de Som: Daniel Turini, Fernando Henna, Armando Torres Jr. e Fernando Oliver (“O Silêncio do Céu”)

Melhor Filme – Júri Popular: “Elis”, de Hugo Prata

Melhor Filme – Júri da Crítica: “O Silêncio do Céu”, de Marco Dutra

Prêmio Especial do Júri: “O Silêncio do Céu”, pelo domínio da construção narrativa e da linguagem cinematográfica

 

LONGAS-METRAGENS ESTRANGEIROS

Melhor Filme: “Guaraní”, de Luis Zorraquín

Melhor Direção: Fernando Lavanderos (“Sin Norte”)

Melhor Atriz: Verónica Perrotta (“Las Toninas Van al Este”)

Melhor Ator: Emilio Barreto (“Guaraní”)

Melhor Roteiro: Luis Zorraquín e Simón Franco (“Guaraní”)

Melhor Fotografia: Andrés Garcés (“Sin Norte”)

Melhor Filme – Júri Popular: “Esteros”, de Papu Curotto

Melhor Filme – Júri da Crítica: “Sin Norte”, de Fernando Lavanderos

Prêmio Especial do Júri: “Esteros”, pela direção delicada e inteligente da história de amor dos atores mirins.

 

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS

Melhor Filme: “Rosinha”, de Gui Campos

Melhor Direção: Felipe Saleme (“Aqueles Cinco Segundos”)

Melhor Atriz: Luciana Paes (“Aqueles Cinco Segundos”)

Melhor Ator: Allan Souza Lima (“O Que Teria Acontecido ou Não Naquela Calma e Misteriosa Tarde de Domingo no Jardim Zoológico”)

Melhor Roteiro: Gui Campos (“Rosinha”)

Melhor Fotografia: Bruno Polidoro (“Horas”)

Melhor Montagem: André Francioli (“Memória da Pedra”)

Melhor Trilha Musical: Kito Siqueira (“Super Oldboy”)

Melhor Direção de Arte: Camila Vieira (“Deusa”)

Melhor Desenho de Som: Jeferson Mandú (“O Ex-Mágico”)

Melhor Filme – Júri Popular: “Super Oldboy”, de Eliane Coster

Melhor Filme – Júri da Crítica: “Lúcida”, de Fabio Rodrigo e Caroline Neves

Prêmio Especial do Júri: Elke Maravilha (“Super Oldboy”) e Maria Alice Vergueiro (“Rosinha”), pela contribuição artística de ambas

Prêmio Aquisição Canal Brasil: “Rosinha”, de Gui Campos

Beijocas, até mais!!!