LANÇAMENTO OFICIAL DO 45º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO

Em 11.07.2017   Arquivado em Eventos

Oiii meninas, tudo bom!?

Hoje aconteceu o lançamento oficial do 45º Festival de Cinema de Gramado e lógico que eu não poderia deixar de fazer um post contando um pouquinho do que rolou pra vocês.

Quem me acompanha por aqui já deve ter visto alguns posts falando sobre o Festival de Cinema de Gramado. Inclusive, tem um vlog no canal da edição do ano passado. O Festival de Cinema é muito famoso no mundo inteiro e reúne filmes de muitas nacionalidades que concorrem a prêmios em diversas categorias. Um dos Festivais mais conceituados, o Festival de Cinema de Gramado foi válvula propulsora pra cidade que, pra uma cidade do interior, passou a receber um público considerado e a ser reconhecida devido ao evento.

Tenho uma longa história com o Festival. Afinal, minha mãe como jornalista sempre fez a cobertura do evento. Eu, como uma boa filha – hahahhaha – sempre estive presente nos bastidores, na área de imprensa e convivendo com os artistas pelos corredores. Confesso que sempre gostei muito. Na época queria ser atriz então era o máximo esse ambiente. Olhem que ironia do destino, hoje quem está fazendo a cobertura sou eu hehehhe Tantos anos frequentando que já estou até com prática :p

Uma coisa é certa, posso falar com propriedade sobre o evento, que, com certeza, faz jus ao completar a agenda de Gramado.

Mas, voltando ao que rolou hoje.

O evento ocorreu na Cinemateca Capitólio, reuniu pessoas do meio e imprensa pra lançar oficialmente essa edição do Festival de Cinema que está marcado para o período de 17 a 26 de agosto em Gramado.

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017
– Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados –
Edson Néspolo – Presidente da Gramadotur
– Foto: Edison Vara/Pressphoto

Após um coquetel servido pra recepcionar os convidados, a coletiva de imprensa aconteceu com a presença do João Alfredo de Castilhos Bertolucci – prefeito de Gramado, Marcos Santuario – Curador, Rubens Ewald Filho – Curador e Edson Néspolo – presidente da Gramadotur, comentando e compondo a frente do evento.

Os filmes em competição e homenageados foram  divulgados:

Homenagens

TROFÉU OSCARITO
Com 33 anos de carreira e mais de 40 filmes no currículo, a paraense Dira Paes é a homenageada com o troféu Oscarito, destinado a grandes atores da cinematografia brasileira. Em Gramado, Dira levou o Kikito em 2003, como melhor atriz coadjuvante, pelo longa “Noite de São João”, e em 2011, como melhor atriz, pelo curta “Ribeirinhos do Asfalto”. Entre os vários prêmios que recebeu nacionalmente, ela não esconde seu carinho por Gramado: “Todo ator tem o maior orgulho de ganhar o Kikito. Nas duas vezes que ganhei, senti meu trabalho reconhecido pelo Brasil inteiro, porque esse é um prêmio que ecoa por todo país. Estar em Gramado é sempre uma emoção muito grande”.

TROFÉU EDUARDO ABELIN
Prestando homenagem a um de seus grandes amigos e incentivadores, o Festival celebra a carreira do cineasta gaúcho Otto Guerra com o troféu Eduardo Abelin, distinção entregue a diretores, cineastas e entidades do cinema nacional. Há mais de quatro décadas fazendo carreira no cinema de animação, Otto esteve pela primeira vez no Festival em 1984 com “O Natal do Burrinho”, que lhe rendeu o prêmio de melhor filme na Mostra Gaúcha de Curtas. Desde então, teve seus trabalhos premiados em outras seis edições do evento. “Esse tipo de legitimação, quando pessoas da área reconhecem o teu trabalho, dá um significado, um propósito”, conta o homenageado.

KIKITO DE CRISTAL
Dedicado a expoentes do cinema latino-americano, o troféu Kikito de Cristal será entregue à atriz argentina Soledad Villamil. Seu maior hit veio em 2009, quando atuou em “O Segredo dos Seus Olhos”, célebre longa argentino vencedor do Oscar de filme estrangeiro, mas sua relação com o cinema começou ainda no início da década de 1990. Antes mesmo de “O Segredo dos Seus Olhos”, Soledad já havia trabalhado com o diretor Juan José Campanella em outro reconhecido filme argentino: “O Mesmo Amor, a Mesma Chuva”, de 1999, exibido no 28º Festival de Cinema de Gramado. Como atriz, a homenageada também acumula trabalhos no teatro e na televisão argentina.

TROFEU CIDADE DE GRAMADO
A estreia no cinema aconteceu em 1960, com “Bahia de Todos os Santos”, e, desde lá, o ator Antônio Pitanga já participou de mais de 50 produções em uma prolífera e dedicada carreira ao cinema nacional. A convivência com grandes diretores do Cinema Novo também despertou a vontade de dirigir filmes, concretizada em 1978, com “Na Boca do Mundo”. Presença constante no Festival de Cinema de Gramado, seja como concorrente, jurado, convidado ou simplesmente espectador do evento serrano, o baiano terá sua carreira celebrada com o troféu Cidade de Gramado, que também marca a sua longa relação com a cidade e o evento serrano.

 

Filmes em Competição

 

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS

– “A Fera na Selva” (RJ), de Paulo Betti, Eliane Giardini e Lauro Escorel

– “As Duas Irenes” (SP), de Fábio Meira

 “Bio” (RS), de Carlos Gerbase

– “Como Nossos Pais” (SP), de Laís Bodanzky

– “O Matador” (PE), de Marcelo Galvão

– “Não Devore Meu Coração!” (RJ), de Felipe Bragança

– “Pela Janela” (Brasil/Argentina), de Caroline Leone

 

LONGAS-METRAGENS ESTRANGEIROS

– “Los Niños” (Chile/Colômbia/Holanda/França), de Maite Alberdi

– “Pinamar” (Argentina), de Federico Godfrid

– “El Sereno” (Uruguai), de Oscar Estévez & Joaquín Mauad

– “Sinfonía para Ana” (Argentina), de Virna Molina e Ernesto Ardito

– “El Sonido de las Cosas” (Costa Rica), de Ariel Escalante

– “La Ultima Tarde” (Peru), de Joel Calero

– “X500” (Colômbia/Canadá/México), de Juan Andrés Arango

 

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS

– “#feique” (RJ), de Alexandre Mandarino

– “A Gis” (SP), de Thiago Carvalhaes

– “Cabelo Bom” (RJ), de Swahili Vidal

– “Caminho dos Gigantes” (SP), de Alois Di Leo

– “Mãe dos Monstros” (RS), de Julia Zanin de Paula

– “Médico de Monstro” (SP), de Gustavo Teixeira

– “O Espírito do Bosque” (SP), de Carla Saavedra Brychcy

– “O Quebra-cabeça de Sara” (RJ), de Allan Ribeiro

– “O Violeiro Fantasma” (GO), de Wesley Rodrigues

– “Objeto/Sujeito” (SP), de Bruno Autran

– “Postergados” (SP), de Carolina Markowicz

– “Sal” (SP), de Diego Freitas

– “Tailor” (RJ), de Calí dos Anjos

– “Telentrega” (RS), de Roberto Burd

 

CURTAS-METRAGENS GAÚCHOS (Prêmio Assembleia Legislativa)

“10 Segundos” (Canoas), de Thiago Massimino

“1947” (Porto Alegre), de Giordano Gio

“Através de Ti” (Santa Cruz do Sul), de Diego Tafarel

“Bicha Camelô” (Pelotas), de Wagner Previtali

“Cores de Bissau” (Porto Alegre), de Maurício Canterle

“Gestos” (Porto Alegre), de Alberto Goldim e Júlia Cazarré

“Kátharsis” (Caxias do Sul), de Mirela Kruel

“Luna 13” (Porto Alegre), de Filipe Barros

“Mãe dos Monstros” (Porto Alegre), de Julia Zanin de Paula

“Secundas” (Porto Alegre), de Cacá Nazario

“Sena, Os Fios em Prosa” (Porto Alegre), de Marcelo da Rosa Costa e Cacá Sena

“Sob Águas Claras e Inocentes” (Porto Alegre)”, de Emiliano Cunha

“Solito” (Porto Alegre), de Eduardo Reis

“Telentrega” (Porto Alegre), de Roberto Burd

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017
– Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados –
Otto Guerra – Homenageado com o Troféu Eduardo Abelin
– Foto: Edison Vara/Pressphoto

Para o curador Rubens Ewald Filho, a múltipla e inédita seleção representa uma excelente resposta a um desafio que a curadoria tenta, a cada ano, mostrar ser possível superar: “Gramado é uma lenda. E, tornando-se uma lenda, algumas coisas ficam mais fáceis, outras bem mais difíceis, como manter o status de lenda. Para algumas pessoas, às vezes pouco interessa se o cinema brasileiro vai bem como um todo. Elas querem saber é se ele vai bem em Gramado. Dessa forma, nossa missão é sempre renovar o Festival na medida em que ele se torne uma lenda também para novas gerações. Por tudo isso, o Festival está sempre em vias de transformação, crescendo e se modificando, mas sempre sem perder as características que o tornaram tão querido”.

Lembro-me de Rubens desde minha infância fazendo parte desse universo da arte. É uma honra poder contemplar suas observações tão de perto.

Pra finalizar, a revelação do Filme de abertura: “João, o Maestro”
Abrindo a programação de longas do 45º Festival de Cinema de Gramado, “João, o Maestro”, do diretor Mauro Lima (“Tim Maia”, “Meu Nome Não é Johnny”), será exibido hors-concours no dia 18 de agosto. Estrelado por Alexandre Nero, o filme é baseado na vida do pianista brasileiro João Carlos Martins, um dos poucos músicos a gravar a obra completa de Bach. Os atores Rodrigo Pandolfo, Alinne Moraes e Caco Ciocler também fazem parte do elenco.

Porto Alegre, RS – 11/07/2017 – 45º Festival de Cinema de Gramado 2017 – Coletiva de Imprensa – Anúncio dos filmes concorrentes e homenageados – Foto: Cleiton Thiele/Pressphoto

Vale mencionar que o festival está comemorando 45 anos de muita história. Em clima de festa, muita coisa boa vai acontecer pela serra. O lançamento estava incrível, e deixou todos ansiosos e empolgados pra ver tudo isso criando forma. Já tenho meus palpites para os vencedores, mas isso é tema para os próximos posts.

Que o Festival chegue logo!!!

Beijocas e até o próximo post <3

Você deve estar logado para comentar.